14° Congresso da Sociedade Latino Americana de Biomateriais, Orgãos Artificiais e Engenharia de Tecidos – SLABO
(5ª Edição do Workshop de Biomateriais, Engenharia de Tecidos e Orgãos Artificiais – OBI)
20 a 24 de Agosto de 2017 - Maresias - SP - Brasil

Carlos Eduardo Podesta, Engenheiro Metalurgista pela Faculdade de Engenharia Industrial da Fundação de Ciências Aplicadas - FEI - São Bernardo do Campo – SP
Especialização

  • Training Abroad in Analytical Equipment Sales/Leco – USA and Canadá
  • Metalurgia do Pó – Powder Metallurgy Word Congress 2014 – USA
  • Powder Metallurgy Word Congress 2013 - Suécia

Doutoramento
Engenharia de Materiais – IPEN – Instituto de Pesquisa Nucleares
Orientador: Profº Dr. Mauricio David Martins das Neves
Co-Orientador: Profº Francisco Ambrozio Filho
Pesquisa - Coordenação de Projetos

  • Ligas metálicas de Ni-Cr e Co-Cr pelo processo de Microfusão e Ligas metálicas de Ni-Cr  e Co-Cr pelo processo de Moagem de Alta Energia (MAE) e Atomização.
  • Esferiodização de pós metálicos a Plasma para Manufatura Aditiva.
  • Recondicionamento de pós metálico por plasma indutivo para Manufatura Aditiva.
  • Estudo, desenvolvimento e aprimoramento de pós metálicos atomizados a gás para aplicação e utilização no processo de Fusão Seletiva a Laser  e Electron Bean Melting para confecção de próteses ortopédicas.

Atividade Profissional
Sócio proprietário da empresa High Bond Indústria de Ligas Metálicas.
Área de atuação

  • Desenvolvimento de Técnicas de Metalurgia do Pó
  • Desenvolvimento de ligas pelo processo de Microfusão

 

Produção de esferas metálicas para manufatura aditiva de implantes

Carlos Eduardo Podesta

Resumo
Na Manufatura Aditiva (MA) é utilizado pó com geometria esférica, visando alcançar maior eficiência do processo de consolidação. Os pós com geometria esférica habitualmente são obtidos via atomização a gás, no entanto a tecnologia de eferoidização por plasma já possui histórico de aplicação amplo na indústria, e vem sendo estudado e comercialmente utilizado como uma tecnologia mais eficaz para a produção de partículas perfeitamente esféricas, de alta pureza, livres de porosidade e partículas satélites, com alta taxa de escoabilidade, características importantes no processo de MA, uma vez que as peças deverão possuir alta densidade, favorecidas pelas características acima mencionadas. Salienta que o custo benefício para obtenção de partículas esféricas via plasma é superior ao custo benefício da atomização a gás. Apesar da atomização a gás ser de reconhecida qualidade na produção de pós esféricos, ainda assim apresentam partículas de pós com características morfológicas e impurezas indesejáveis, tais como, partículas satélites e regiões com presença de óxidos, (destacamos). Estas características prejudicam o escoamento e o espalhamento das partículas de pó, no processamento camada a camada em equipamentos de manufatura aditiva (MA), reduzindo a eficiência do processo. Cabe salientar ainda que além de atomizar o processo de plasma indutivo (ICP) é mais flexível uma vez que realiza processos de esferoidização e recondicionamento dos pós metálicos.

Copyright © 2016-2017 Metallum. Todos direitos reservados.
Site produzido por: SITESP.NET

Órgãos Artificiais e Biomecânica,Biomateriais,Normatização de Biomateriais,Liberação Controlada de Fármacos e Genes,Engenharia de Tecidos, Testes in vivo e in vitro, Medicina Regenerativa,Biopreservação,Materiais para Odontologia